Pará de Minas

por Euler Aparecido de Souza Garcia última modificação 26/07/2016 13h37

Localiza-se na parte central do Estado de Minas Gerais, com aproximadamente 19º 53' de latitude S e 44º 31' de longitude W, conforme coordenadas geográficas. Com uma área de 588 km2, segundo o documento Áreas dos Municípios por unidade da Federação, do IBGE, para 1993.

Suas fronteiras:
Norte - Onça de Pitangui e São José da Varginha;
Leste - Esmeralda e Florestal;
Sul - Mateus Leme, Itaúna e Igaratinga;
Oeste - Conceição do Pará.

Principais rodovias que servem ao município:
BR-262;
BR-352;
MG-431;
MG-060.
Com acesso principalmente pela BR-262.

Distância da Capital do Estado, outras Capitais e Pólos Regionais Próximos
Rio de Janeiro: 515 Km
São Paulo: 570 Km
Vitória: 620 Km
Brasília: 810 Km
Belo Horizonte: 86 Km
Contagem: 70 Km
Betim: 52 Km
Divinópolis: 63 Km
Bom Despacho: 87 Km
Itaúna: 26 Km

População
Pessoas residentes - resultados da amostra - municípios vigentes em 2001
73.007 habitantes

Economia:

Pará de Minas possui uma economia bastante diversificada, como pode ser observado através dos dados de recolhimento de ICMS.

Arrecadação Municipal - 1.995-1.999

Ano ICMS Outros Total
1995 9.246.858 2.180.193 11.427.051
1996 9.741.640 2.949.182 12.690.822
1997 11.874.931 3.784.732 15.659.663
1998 12.831.243 5.053.348 17.884.591
1999 13.722.596 5.393.591 19.116.187

Fonte: Secretaria de Estado da Fazenda 1995-1999 : reais correntes

População Ocupada por Setores Econômicos - 1.991

Numero de pessoas nos setores
Agropecuario 4.255
Industrial 8.976
Comercio de Mercadorias 2.941
Transporte, Comunicação e Armazenagem 1.352
Outros Serviços 7.895
TOTAL 25.419


08 de abril de 1846 - Criação do distrito de Patafufo, pela Lei Provincial n°. 312.

09 de outubro de 1848
- Elevação do distrito (pertencente a Pitangui) a categoria de Vila (que se chamou "Villa do Patafufo"), por força da Lei provincial n° 386.

31 de maio de 1850
- A Lei Provincial n°472 revogou a lei anterior, visto que não se dera cumprimento a exigência da construção dos prédios da Câmara a da cadeia.

08 de junho de 1858
- A Lei Provincial n° 882 confirmou a de 9 de outubro de 1858, mas, agora, determinava Pará a povoação o nome de VILA DO PARÁ.

20 de setembro do 1859
- Como tivesse sido cumprida a exigência legal da construção dos edifícios da Câmara a da cadeia publica, deu-se a solene instalação da Vila do Pará. O ato foi presidido pelo presidente da Câmara Municipal de Pitangui, Dr. Francisco Cordeiro dos Campos Valadares, médico e avô materno do ex-governador Benedito Valadares.

15 de julho de 1872
- Os dois partidos políticos pitanguienses. representados pelos liberais (apelidados "Chimangos") e pelos, conservadores (os "Cascudos") viviam as turras. Com o objetivo de contrariar a posição dos liberais, que eram maioria, os conservadores valeram-se do deputado Gustavo Xavier Capanema Pará decretar a supressão da Vila do Pará, anexando-a novamente ao município de Pitangui. Xavier conseguiu o apoio de 16 colegas ao seu projeto, que se transformou na Lei Provincial n° 1.889, extinguindo a Vila do Pará.

23 de dezembro de 1874 - Na sessão ordinária de 13 de novembro de 1874, o deputado Capitão Antônio de Assis Martins, que havia apoiado a supressão da Vila do Pará, apresentou projeto pela restauração da vila, transformado, afinal, na Lei Provincial n° 2.081. A meu ver, esta e a verdadeira data (por ser definitiva) da independência político-administrativa de nosso município.

25 de março de 1875
- Dá -se a reinstalação da Vila do Pará, ato a que presidiu o Dr. Cornélio Augusto dos Santos, aqui nascido, a presidente da Câmara de Pitangui.

05 de novembro de 1877
- Por efeito da Lei Provincial n° 2.416, a Vila do Pará foi elevada à categoria de cidade. (Esta, portanto, e a verdadeira data do "aniversário da cidade"...) A "Vila do Pará" passou a denominar-se "Cidade do Pará", ainda em homenagem ao rio que banhava suas terras.
A denominação CIDADE DO PARÁ conservou-se até 22 de setembro de 1921, quando a Lei Estadual n° 806 instituiu a denominação de PARÁ DE MINAS para o município.

 

(*)Dados extraídos da revista: Gente, Fatos e Coisas da Câmara Municipal de Pará de Minas